Ser mãe, ser pai

desafios na contemporaneidade

Palavras-chave: Maternidade, Preocupação materna primária, Mundo Contemporâneo, Psicanálise

Resumo

Observa-se que no contexto cultural da atualidade, com a quebra dos valores rígidos, estáticos e a abertura para as múltiplas possibilidades de subjetivação, de modos de existência, o vir a ser mãe e pai precisa ser criado, inventado a cada nova experiência. Este artigo se propõe a discutir essas questões, a partir de um recorte psicanalítico – especialmente o conceito de Preocupação Materna Primária, de Winnicott – bem como das contribuições de Gilles Lipovetsky e Joel Birman, teóricos que estudam o mundo contemporâneo.

Biografia do Autor

Rachele da Silva Ferrari, IPUSP

Psicanalista. Mestre em Psicologia clínica Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC-SP, São Paulo, SP,Brasil. Doutoranda no Departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP). São Paulo, SP, Brasil. Docente no CEFAS-Campinas.

Marina Ferreira da Rosa Ribeiro, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo- IP-USP

Professora Doutora do Departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP). São Paulo, SP, Brasil.

Publicado
05-08-2020
Como Citar
FERRARI, R.; RIBEIRO, M. Ser mãe, ser pai. Cadernos de Psicanálise (CPRJ), v. 42, n. 42, p. 225-242, 5 ago. 2020.