Normas para Apresentação de Artigo

  • Comissão Editorial

Resumo

  1. CADERNOS DE PSICANÁLISE (CPRJ) é um periódico científico oficial do Círculo Psicanalítico do Rio de Fundado em 1979 (como Boletim
  2. Interno, vindo a ter o nome atual em 1994, quando se tornou uma publica- ção anual), procura agregar artigos relativos a questões temáticas, postas anualmente em debate pelo CPRJ, preservando, contudo, um espaço para temas livres, desde que concernentes ao domínio psicanalítico e suas interfa- ces. A partir de 2011, volume 33, passou a ser uma publicação semestral, sendo que este volume agrega os dois números do ano, em apenas uma pu- blicação Já a partir de 2012, os dois números do ano passaram a ser distintos, com previsão de lançamento regular para agosto e dezembro. Des- de dezembro de 2017, volume 39, número 36, Cadernos de Psicanálise é pu- blicado somente no formato eletrônico.
  3. CADERNOS DE PSICANÁLISE (CPRJ) é um periódico científico oficial do

Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro e aceita artigo inédito no campo da Psicanálise e que consista em contribuição original e relevante para a pesqui- sa psicanalítica.

  1. O artigo deve ser enviado à Comissão Editorial pela internet, através do

portal da revista – ou seja, para: cprj.com.br/ojs_cprj/index.php/cprj (docu- mento do Word, como anexo)  –,  comprometendo-se  o(s)  autor(es)  a  não submetê-lo a outros periódicos científicos até o término do processo de avaliação e a publicá-lo no Cadernos de Psicanálise (CPRJ), uma vez aprova- do.

  1. O arquivo do artigo deve ser acompanhado de outro arquivo que contenha

o título e o nome do autor, com sua qualificação e filiação institucional, en- dereço (inclusive CEP), telefone (inclusive DDD) e e-mail.

  1. Os membros da Comissão Editorial avaliam a pertinência do artigo à pro-

posta da revista, a adequação às normas de publicação, clareza e correção da linguagem.

  1. Avaliação por Após essa primeira verificação, o artigo é enviado a

pareceristas ad hoc (membros de um Conselho Científico, anualmente esta-

 

belecido) de reconhecida competência na área da Psicanálise e que têm afi- nidade com o tema proposto. Estes avaliam o artigo, levando em conta a relevância, a coerência e a correção dos assuntos tratados, assim como a con- tribuição das referências para a discussão do tema em pauta.

  1. Procedimento duplo-cego. Os pareceres são emitidos sem que o pareceris-

ta conheça a identidade do(s) autor(es). As observações dos pareceristas são encaminhadas ao(s) autor(es), sendo aqueles também mantidos sob sigilo.

  1. Se aprovado com exigências significativas de modificações, o artigo é reen-

viado para o portal da revista – ou seja, para: cprj.com.br/ojs_cprj/index. php/cprj, dentro de novo prazo estipulado pelos editores, sendo novamente revisto por pareceristas.

  1. Se um artigo for bem avaliado pelos pareceristas, considerando o número de

artigos aprovados, os membros da Comissão Editorial decidem em qual nú- mero da revista aquele deve ser publicado.

  1. A publicação está condicionada à assinatura de uma autorização para publica-

ção on-line, onde deve constar que o artigo é de inteira responsabilidade do(s) autor(es), e a cessão de direitos autorais aos Cadernos de Psicanálise (CPRJ).

12.  Formatação.
  • Folha A4, letra Times New Roman 12, espaço entre linhas 1,5cm;
  • Margens: esquerda 3cm, direita 1,5cm, superior e inferior 2,5cm;
  • Extensão .doc *documento do Word;
  • As páginas devem ser numeradas, admitindo-se no máximo 20;
13.  Estrutura – elementos essenciais.
  • A primeira página deve conter o título do artigo, em português e inglês, Resumo (com no máximo 8 linhas), Palavras-chave, Abstract e Keywords: esta página não está incluída no limite de 20 páginas, antes informado;
  • Não devem ser utilizadas letras caixa-alta, em títulos e subtítulos (seções);
  • Os subtítulos podem ou não estar numerados – desde Introdução até Conclusão – com algarismos arábicos;
  • Os títulos de artigos e livros citados, ao longo do texto, devem estar em

letras itálicas e apenas a primeira letra deve estar em maiúscula. Ex. Luto e melancolia;

  • Não devem constar quaisquer informações que possam identificar o(s) autor(es);
  • Destaques e palavras estrangeiras devem estar em letras itálicas, assim

como expressões latinas. Ex: et al., apud, idem, ibidem;

 

  • Citações literais, com até 3 linhas, devem estar entre aspas e inseridas no texto, e as com mais de 3 linhas devem constituir um parágrafo independente, com recuo de 4cm da margem esquerda, fonte tamanho 11 e espaço simples entre linhas, dispensando aspas, nesse
  • Menções a autores, no decorrer do artigo, devem subordinar-se à forma (autor, data) ou (autor, data, página). Ex: (FREUD, 1921/1996, 125), sendo que o nome do autor deve estar em letras caixa alta;
  • Notas de rodapé com comentários deverão ser indicadas por algarismos arábicos e com tamanho de fonte 10 (Times New Roman);
  • Quadros, gráficos, fotos ou mapas devem ser apresentados em páginas

distintas, com indicação dos locais em que devem ser incluídos; devem estar numerados e titulados corretamente e apresentar indicações das fontes de onde provêm;

  • As Referências devem ser elaboradas de acordo com as normas da

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT (NBR-6023/2002) e inseridas após o texto, em ordem alfabética de sobrenome do autor. Devem ser digitadas em espaço simples entre linhas e espaço de 1,5cm, separando as referências entre si, e devem estar formatadas com alinhamento à esquerda, tamanho de fonte 11.

  • No caso de várias obras de mesma autoria, o nome do autor será

substituído por 6 traços underlines, seguidos de ponto.

  • Adotamos algumas adaptações em situações específicas, conforme exemplificadas em Notas, mais

 

Em caso de dúvida, consultar:

FRANÇA, Junia Lessa et al. Manual para normalização de publicações técnico-

-científicas. 7.ed. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2004.

Exemplos de Referências:

Um autor (Sobrenome em letras ‘caixa alta’ e o título em letras itálicas – o subtítulo não deve ser incluído, se houver, e somente a primeira letra do título deve estar em caixa alta.)

MELMAN, Charles. Retorno a Schreber. Porto Alegre: CMC Editora, 2006.

Dois e/ou três autores (nome dos autores separados por ponto e vírgula). JABBOUR, Charbelle; Marques, Liliam. Gêmeos: onde está a semelhança? Rio de Janeiro: Papel e Virtual, 1998.

 

Mais de três autores (primeiro autor seguido da expressão et al., em itálico). GREEN, André et al. A pulsão de morte. São Paulo: Escuta, 1988.

Artigo publicado em periódico (somente o título do periódico deve estar em itálico).

COSTA, Jurandir Freire. Os amores que não se deixam dizer. Cadernos de Psicanálise (Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, v. 13, n. 7, p. 57-69, 1991.

Capítulo de livro (travessão: 6 espaços seguidos de ponto).

MOKREJS, Elisabete. A aplicação terapêutica do método e a formação sistematizada em psicanálise. In:         . A psicanálise no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1993. p. 34-81.

Dissertação ou tese.

DA POIAN, Stella Maris, A. O prazer e o simbólico na constituição do sujeito: uma análise do jogo. 1979. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Instituto de Psicologia, PUC-Rio, 1979.

Compilador, Coordenador, Editor, Organizador:

(Comp.), (Coord.), (Ed.), (Org.).

JUNQUEIRA FILHO, Luiz C. V. (Org.) Corpo-mente: uma fronteira móvel. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1995.

Trabalho apresentado em Evento.

SAFRA, Gilberto. Intimidade e processo maturacional. In: ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE PENSAMENTO DE D. W. WINNICOTT,

9., 2000, Rio de Janeiro. Anais…, 2000.

Evento.

JORNADA INTERNA DO CPRJ, 12., set./2005. Masculino/Feminino: a clínica dos novos paradigmas. Rio de Janeiro: CPRJ, 2005.

Documentos em formato eletrônico.

LANNES, Edson Soares. Na fronteira do viver. Disponível em: < (site) >. Acesso em: ……(data)…………..

Artigo de livro.

BIRMAN, Joel. Uma dívida impagável. In: ARAÚJO, M.C. de; MAYA, M.C.B.B. (Org.). Neurose obsessiva. Rio de Janeiro: Letter, 1992. p. 49-106.

FERENCZI, Sándor (1928). Elasticidade da técnica psicanalítica. São Paulo:

Martins Fontes, 1992. p. 25-36. (Obras completas Sándor Ferenczi, 4).

 

WINNICOTT, Donald Woods (1945). Desenvolvimento emocional primitivo. In          . Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000. p. 218-232.

FREUD, Sigmund (1950[1895]). Projeto para uma psicologia científica. Rio de Janeiro: Imago, 1977. p. 395-452. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, 1).

           . (1920). Além do princípio do prazer. Rio de Janeiro: Imago, 1969. p. 17-85. (ESB, 18).

Notas.
  • Nos artigos de Freud, seguimos um padrão especial de referência, conforme exemplificado acima. E apenas no primeiro item deve constar o título da coleção por
  • Havendo referências diversas de um mesmo autor, a primeira referência da

coleção citada deve ser redigida por extenso, abreviando-se as seguintes.

  • No caso dos artigos de Freud e de outros autores psicanalistas com obra extensa, colocar o ano da primeira publicação do artigo em seguida ao nome do
Exemplos:

FREUD, Sigmund (1901). A psicopatologia da vida cotidiana. Rio de Janeiro: Imago, 1976. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, 6).

           . (1905). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. Rio de Janeiro: Imago, 1972. p. 123-253. (ESB,7).

WINNICOTT, D. W. (1945). Desenvolvimento emocional primitivo. In:

           . Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000. p. 218-232.

Abreviaturas latinas (em itálico).

ibidem ou ibid. = na mesma obra.

idem ou id = do mesmo autor (quando se trata de diferentes obras do mesmo autor).

  1. cit. = na obra citada.

apud = citado por, conforme, segundo.

loc. cit. = mesma página de uma obra já citada (no lugar citado).

et al. = e outros.

et seq. = para não serem mencionadas todas as páginas da obra referenciada (intervalo entre páginas).

Publicado
05-12-2019
Como Citar
EDITORIAL, C. Normas para Apresentação de Artigo. Cadernos de Psicanálise (CPRJ), v. 41, n. 41, p. 247-251, 5 dez. 2019.
Seção
Normas para Apresentação de Artigo