O medo e a experiência do tempo, do espaço e do contato durante o confinamento

  • Paulo Sérgio Lima Silva Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro-CPRJ, Rio de Janeiro, RJ
Palavras-chave: Confinamento, Trauma, Medo, Espaço, Tempo, Contato

Resumo

O objetivo do artigo é propor uma reflexão sobre alguns efeitos na vida psicológica dos sujeitos confinados devido à ameaça do Covid19. Na primeira parte, baseada no modo de estruturação das fobias, é proposta uma matriz psicopatológica que organiza a sensibilidade e o comportamento das pessoas nesta situação, suas angústias e defesas. Na segunda parte o autor aborda as vivências dos pacientes de sua clínica psicanalítica em relação ao espaço, ao tempo e ao contato durante o confinamento, bem como seus movimentos de enfrentamento da passividade e do medo.

Biografia do Autor

Paulo Sérgio Lima Silva, Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro-CPRJ, Rio de Janeiro, RJ

Psicanalista. Doutor em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Membro Efetivo do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro (CPRJ). Membro Aderente e Supervisor da Sociedade de Psicanálise da Cidade do Rio de Janeiro (SPCRJ). Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Referências

BIRMAN, J. O sujeito na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

BOLLAS, C. Conferência. PUC, RJ, 1999.

COSTA PEREIRA, M. E. Pânico e desamparo. São Paulo: Escuta, 1999.

FAIRBAIRN, W. R. D. Estudos psicanalíticos da personalidade. Rio de Janeiro: Editora Interamericana, 1980.

FERRAZ, F. C. A recusa do tempo. In: FRANÇA, C. (Org.). Perversão, variações clínicas em torno de uma nota só. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005.

FREUD, S. (1896). Correspondência completa de Sigmund Freud para Wilhelm Fliess. São Paulo: Imago, 1985.

______. (1926). Inibição, sintoma e angústia, São Paulo: Cia das Letras, 2014.

GIL, J. O medo. Disponível em: <https://n-1edicoes.org/001>. Acesso em: 4 jul. 2020.

GRINBERG, L. Identidad y cambio, Buenos Aires: Kargieman, 1971.

LIMA SILVA, P. S. A propósito de caminhos e descaminhos do luto. Cadernos de Psicanálise-CPRJ, Rio de Janeiro, v. 37, n. 32, 2015.

RILKE, R. M. Elegias de Duíno. Petrópolis: Ed. Vozes, 1989.

ROCHA, Z. Esperança não é esperar, é caminhar. Rev. Latinoam. Psicopat. Fund., X, 2, 2007.

WINNICOTT, D. W. (1966). Teoria do relacionamento paterno-infantil. In: ______. O ambiente e os processos de maturação. Artes Médicas: Porto Alegre, 1990.

Publicado
05-08-2020
Como Citar
SILVA, P. O medo e a experiência do tempo, do espaço e do contato durante o confinamento. Cadernos de Psicanálise (CPRJ), v. 42, n. 42, p. 81-92, 5 ago. 2020.